Dicas para escolher um escritório de correspondência jurídica em Brasília


Dicas para escolher escritório de correspondência jurídica em Brasília

É importante, a partir da demanda do serviço objeto da correspondência, avaliar algumas questões que muitas vezes superam a técnica. Isso, especialmente para que a escolha do escritório seja satisfatória.

Mas, você sabe o que avaliar na escolha do escritório de correspondência jurídica?

A seguir, separamos algumas dicas para lhe dar suporte nesta questão.

A primeira (e, que entendemos como sendo a mais importante), é verificar se o serviço pode acarretar na necessidade de uma conversa pontual com servidores, assessores, ou julgadores.

É o caso, por exemplo, do protocolo de pedidos liminares ou com prazo fatal.

Nesta situação, sendo processos que tramitam, por exemplo, já nos tribunais superiores (como é o caso do Superior Tribunal de Justiça – STJ, Supremo Tribunal Federal – STF e do Tribunal Superior do Trabalho – TST) é de extrema relevância que o escritório a ser contratado tenha experiência que vai além de meramente conhecer a teoria do serviço a ser realizado, e o local onde há necessidade de comparecer para a realização da diligência.

É este o foco de nosso escritório.

Todos os serviços que nos são passados, nós tratamos como se fossem de nossos próprios clientes, cuja diligencia é realizada em observância aos mínimos detalhes, visando a proporcionar a satisfação integral de seus clientes.

Em segundo lugar, há necessidade de sopesar se, ainda que a diligência refira-se a casos mais simples, o conhecimento da questão pela pessoa a ser contratada.

Ou seja, tratando-se da contratação de advogados correspondentes para o comparecimento em audiência, por exemplo, é importante, além de repassar o processo para leitura e estudo, que haja conversa a respeito das estratégias, a fim de que, perante o julgador, não haja a impressão de que o advogado contratado não tem conhecimento suficiente para estar ali.

Antes de nos especializarmos na correspondência jurídica, ao contratarmos correspondentes, já passamos por situações similares. Ou seja, de, confiando no profissional contratado, ter a certeza que o mesmo leria as informações contidas no processo, para estar preparado para o ato a ser realizado. No entanto, nem sempre o resultado foi satisfatório.

A partir daí, portanto, é que visando não cometer os erros de tais colegas, temos a cautela de repassar com quem nos contrata, nossa percepção sobre o ato a ser realizado – esclarecendo, com isso, as questões contidas no processo, que são pertinentes para ter atenção em audiência, por exemplo.

Assim, não nos colocamos na posição de meros representantes, mas, sim, na de representantes técnicos. Sempre.

É claro que não se pode esquecer, que nem sempre o serviço da correspondência é solicitado com a antecedência necessária para a preparação com a profundidade que se espera (e que entendemos ser necessária) e é que vem a terceira dica: tentar, quando possível, é claro, antecipar a contratação do correspondente.

Se a demanda for grande, é interessante ter alguns nomes já anotados e guardados para saber quem são as pessoas que podem lhe auxiliar quando necessário for – especialmente nos casos que demandem maior conhecimento, nos moldes ressaltados na primeira dica.

No entanto, não sendo possível antecipar-se, pelas inúmeras razões que rodeiam as questões jurídicas (e nós conhecemos), a dica é que o serviço de correspondência seja detalhadamente repassado com o advogado representante – seja por meio de resumos, informativos, ou questões que o contratante entende serem mais relevantes ao caso em apreço.

A quarta dica, é dar feedbacks ao serviço prestado.

Ainda que sejam adotadas as condutas preparatórias de forma satisfatória por parte do advogado correspondente, é importante que a parte contratante o informe sobre a sua satisfação – isso é claro, avaliando condutas que dependeram, exclusivamente, do advogado contratado, desde a educação, até a capacidade técnica de entendimento e realização do ato.

Dando feedbacks, você possibilita o aprimoramento das atividades como um todo, melhorando e motivando a capacitação dos profissionais que trabalham no ramo, e, por consequência, a qualidade dos serviços a serem prestados.

Por fim, há quem diga que, atentar-se à localização do escritório correspondente, também é algo importante. Nós entendemos, no entanto, que isso depende do serviço objeto da contratação, avaliado em conjunto com o tempo possível para a realização da diligência e a disponibilidade do advogado a ser contratado.

É lógico que se tratando de trabalho que precisa ser realizado com urgência, a proximidade do correspondente ao local onde há necessidade de comparecimento, facilita a execução do serviço.  

No entanto, isso deixa de ser tão importante, especialmente nas situações onde, por exemplo, algumas horas não interfiram no resultado da atividade.

Assim, nossa recomendação é que, antes de avaliar-se a proximidade, priorize-se a competência e experiência do advogado a ser contratado, ponderando com o mesmo se determinado local é fácil acesso e, nas situações onde não houver horário marcado, quando será possível realizar a diligência.

Ademais, nem sempre as contratações de correspondentes são realizadas para a ida em um ou outro lugar. Isso, talvez, não seja muito divulgado.

Nós, por exemplo, que estamos localizados em Brasília-DF, podemos lhe assessorar na realização de atos voltados aos tribunais superiores, podendo haver contratações para a revisão, ou emissão de opiniões sobre determinada situação que possa influenciar no julgamento do processo.

Entendemos, como advogados correspondentes, que além dos afazeres que demandam o comparecimento em um ou outro local, podemos ser parceiros dos advogados que nos contratam, para, também, debater questões que se façam necessárias.

Além disso, também, é possível a contratação da correspondência jurídica para a realização de reuniões com clientes que prefiram um atendimento pessoal, sem, com isso, deixar de se vincular ao escritório localizado em outra comarca ou Estado. Seu primeiro pensamento, talvez, seja que a contratação com esse objetivo, faça com que a situação torne-se arriscada de modo a “perder” o cliente para o advogado correspondente. Nós não pensamos assim. Pensamos, conforme já exposto em momento anterior, em constituir parceiros, agindo, sempre, de modo ético e regular.

Por fim, é importante ter em mente que, assim como você espera que seus clientes lhe valorizem, os advogados correspondentes, também precisam ser valorizados, para que possam sempre manter a qualidade dos serviços prestados, inclusive, aprimorando-se.

Então, quando pensar que o valor da diligência está muito alto, nós recomendamos que seja realizada a análise do benefício que o serviço realizado pode lhe proporcionar – a fim de que o “barato” não venha se tornar “caro”. Se, feita tal análise, ainda entender que o valor está caro, a dica é que isso seja ponderado com o advogado correspondente, haja vista que a intenção primordial é que ambas as partes estejam satisfeitas.Nós estamos abertos para sugestões ou duvidas, visando, sempre, melhorar nossos serviços de correspondência, que são prestados para todas as áreas do direito, em especial nas situações que demandam conhecimento com os tribunais superiores, localizados em nossos arredores – em Brasília-Distrito Federal.

Categorizados em:

Este artigo foi escrito porOscar Mendes