Como escolher o melhor plano de saúde?


A Constituição Federal dispõe que a saúde é direito de todos e dever do Estado (artigo 196).

Esse dever é prestado por meio dos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).

Porém, a Constituição também autoriza que instituições privadas participem do SUS de forma complementar (artigo 199, §1º).

Assim, muitas empresas oferecem planos de saúde privados. Mas será que todas o fazem de forma regular? como saber qual plano é o mais adequado?

Vários fatores devem ser levados em consideração na hora de optar por um plano de saúde. Neste artigo, através de oito dicas essenciais, iremos falar sobre o que deve ser analisado na hora de fazer essa escolha.

1. Verifique o registro na ANS

Conforme dissemos, os planos de saúde privados são uma forma de prestação suplementar dos serviços de saúde.

Por isso, empresas que ofereçam planos de saúde precisam ter registro na Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS).

Esta é a primeira coisa que deve ser checada ao avaliar a seriedade de um plano.

Pode parecer um item básico, mas ele se faz cada vez mais importante, uma vez que, infelizmente, muitas empresas vendem planos de saúde não registrados na ANS, ou usam da mera solicitação de registro, que ainda sequer foi deferida, bem como mostram registros suspensos ou cancelados, com intuito de demonstrar aos consumidores que o plano está em situação regular.

2. Pesquise a reputação da operadora

A própria ANS disponibiliza várias fontes de avaliar a credibilidade de um operadora de plano de saúde e a satisfação de seus clientes, por exemplo: a) ranking anual de operadoras, que leva em consideração vários fatores, como desempenho, regulação, sustentabilidade e outros; b) avaliações feitas pelos próprios usuários; c) índices de reclamações dos usuários e; d) situação financeira das operadoras perante o SUS.

Além disso, vale a pena ouvir a opinião de amigos, conhecidos e outros usuários dos planos.

3. Verifique a amplitude da cobertura

Procure saber se o plano de saúde cobre serviços em âmbito Municipal, Estadual ou Nacional.

Este é um fator especialmente importante para quem viaja com frequência, bem como para que reside em locais que não oferecem todas as condições adequadas para tratar problemas de saúde.

4. Analise qual é o plano se adequa melhor ao seu perfil

Para quem já tem alguma doença ou problema de saúde, antes da contratação, é importante fazer uma pesquisa e verificar se existem operadoras com condições mais favoráveis para o seu caso.

Outras características também devem ser avaliadas, como gênero, idade, histórico de doenças e outros.

Ressalta-se que, se indagado pela empresa, todas essas informações precisam ser prestadas no momento da contratação, sob pena de risco de não cobertura de um tratamento ou atendimento.

5. Compare a carência com a sua urgência

A ANS determina para planos contratados a partir de 02.01.1999, que o plano não pode exigir mais de 24 horas de carência para atender casos de urgência (acidentes pessoais ou complicações no processo gestacional) e emergência (risco imediato à vida ou lesões irreparáveis).

Para partos não prematuros e decorrentes de complicações no processo gestacionais, a carência mínima é de 300 (trezentos) dias.

Para os demais casos, a carência mínima é de 180 (cento e oitenta) dias.

Ademais, as operadoras podem oferecer prazos menores. Verifique se isso pode ser relevante para o seu caso.

6. Compare preços

Planos baratos demais podem estar mascarando uma cobertura baixa ou irregular.

Compare também a diferença entre planos individuais e planos familiares.

7. Procure saber sobre os reajustes de preços

Não é suficiente analisar os preços das mensalidades. É essencial, também, procurar saber sobre os índices e as formas de reajuste dos preços.

Nos planos individuais e familiares, os reajustes permitidos pela ANS são anuais, na data de aniversário da contratação ou na mudança de faixa etária.

8. Procure um advogado

Por fim, antes de assinar o contrato, é importante contar com um acompanhamento jurídico rigoroso.

Além das características encontradas em todos os contratos, como hipóteses de rescisão, penalidades e outros, os contratos de planos de saúde envolvem questões de diversas áreas do Direito. Procure advogados e escritórios especializados em Direito da Saúde e Direito do Consumidor sempre que houver alguma dúvida no momento da contratação.

Categorizados em:

Este artigo foi escrito porOscar Mendes